Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/06/2013

Lost in translation (177) – fadiga da liberalidade

Nouriel Roubini é um economista americano muito celebrado por ter antecipado o rebentamento da bolha financeira alimentada durante duas décadas pelo FED - na verdade ele só antecipou o rebentamento, mas passou ao lado das causas e por isso ainda hoje preconiza, como parte de terapia, o mesmo tratamento que tornou a bolha inevitável.

É muito citado entre nós nos títulos, como este do Expresso «Roubini diz: "Há uma fadiga da austeridade em Portugal». Em rigor, mas isso nunca dá títulos ao jornalismo de causas, Roubini preconiza reformas estruturais e considera indispensável a «austeridade», apenas defende um trade off entre medidas com efeitos recessivos e medidas keynesianas.

Seja como for, esta estória da «fadiga da austeridade» tem de ser recontada. Só estamos fatigados com apenas 2 anos de «austeridade» porque quando a começámos já estávamos fatigados com uns 20 anos de liberalidade com o dinheiro alheio.

Sem comentários: