Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/06/2013

ESTADO DE SÍTIO: Se não tens obras para anunciar, anuncia reduções de impostos

A partir de certa altura no governo Sócrates II, quanto mais escasseava o dinheiro e os elefantes brancos do regime ameaçavam nunca sair do PowerPoint, mais os ministros se obstinavam na produção de sound bites anunciando obras miraculosas.

Com esta coligação entre o PSD e um partido da oposição, por óbvia falta de dinheiro que retira qualquer credibilidade a putativos anúncios de novos elefantes brancos, resta aos ministros competirem entre si no anúncio dos milagres possíveis, dos quais hoje resta a redução de impostos.

Foi o que fizeram Paulo Portas, o representante da oposição no governo, que se propõe «iniciar, ainda nesta legislatura, o desagravamento fiscal em sede de IRS» e o ministro Álvaro que, mais comedido, por falta de um palco e de um coro como o que dispõe o Dr. Portas, concorda mas só «assim que seja possível». Tal como o TGV e novo aeroporto, tudo indica que estes milagres terão de ser adiados sine die ou, dito talvez de forma mais apropriada aos tempos, ad kalendas græcas.

Sem comentários: