Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/06/2013

ESTADO DE SÍTIO: Se não tens obras para anunciar, anuncia reduções de impostos ou então…

… «aumentar o salário mínimo (e) a recuperação de rendimentos dos trabalhadores da administração pública, dos pensionistas e dos trabalhadores do sector privado, bem como, a tributação – em sede de IRS – de todos eles», como os dirigentes do CDS .

Se perguntarem porquê responde-lhes que o «poder de compra dos portugueses está 25% abaixo da média europeia», ainda que a mão-de-obra portuguesa produza metade da média europeia e menos de 1/3 da irlandesa. Em caso desesperado, usa o argumento do PCP: aumentando o salário aumenta a produtividade, ainda que, ano após ano, seja desmentido pela corrida entre a lebre dos custos salariais e a tartaruga da produtividade.

Sem comentários: