Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/05/2005

DIÁRIO DE BORDO: a maiêutica do aborto (8)

Depois de (1), (2), (3), (4), (5), (6) e (7), mais perguntas fáceis de resposta difícil.

O PS já admite mudar a lei do aborto sem referendo. O PCP e BE é isso que defendem. O PSD dá liberdade de voto aos seus deputados. O CDS é contra o aborto.

Porque não resolve a AR a coisa duma vez, aprovando o aborto e entrando no regime de serviços mínimos, ficando os deputados do CDS a tratar do expediente e libertando-se os restantes deputados: os do PSD para tratarem dos seus negócios e os do PS e PCP para percorrerem o país em sessões de esclarecimento com distribuição gratuita de camisas de vénus? E os do BE? Não seria melhor distribuírem seringas?

Sem comentários: