Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/10/2017

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (163) - O amigo do Costa (III)

Continuação de (I) e (II)

Em retrospectiva:

Diogo Lacerda Machado, o amigo do Costa, esteve envolvido no SIRESP, na compra dos helicópteros Kamov, na reversão da privatização da TAP, na resolução do caso dos lesados do BES, no acordo do CaixaBank com Isabel dos Santos, no caso dos lesados do Banif e na tentativa de solução do crédito malparado da banca.

Na parte que agora interessa, Lacerda Machado foi administrador da Geocapital que foi parceira da TAP na compra da Varig Engenharia e Manutenção, em 2005, saindo dois anos mais tarde. A Varig Engenharia e Manutenção é hoje parte integrante da TAP com o nome TAP Manutenção e Engenharia.

Rebobinando rapidamente:

As contas do 1.º semestre de 2017 da TAP evidenciaram um aumento de 3% dos prejuízos para 52 milhões apesar da facturação ter aumentado 11% para 1.254 milhões. Pronto, concluirá qualquer socialista encartado, estão a ver?, apesar de gerida pelos "privados" a TAP continua a perder dinheiro.

A sério? Tomemos o ano passado em que a TAP perdeu 27,7 milhões. Qual a origem dos prejuízos? Por coincidência na TAP Manutenção e Engenharia que perdeu 47,5 milhões em parte compensados pelos lucros na operação da TAP, prejuízos a somar às muitas centenas de milhões desde que por lá andaram as mãozinhas de Lacerda Machado e de outros socialistas (Almeida Santos, por exemplo).

Sem comentários: