Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/10/2017

DIÁRIO DE BORDO: Senhor, concedei-nos a graça de não termos outros cinco anos de TV Marcelo (46) - Too little? Too late?

Outras preces.

«Se na Assembleia da República há quem questione a capacidade do atual Governo para realizar estas mudanças que são indispensáveis e inadiáveis, então, nos termos da Constituição, esperemos que a mesma Assembleia soberanamente clarifique se quer ou não manter em funções o Governo».

Marcelo Rebelo de Sousa em Oliveira do Hospital (TVI24)

Se não too little, pelo menos um too late perdido no meio do too much que tem sido a verborreia presidencial.

2 comentários:

Anónimo disse...

Isto de ter o Impertinente e o Pertinente à compita pela melhor frase, é obra.

Felicitações.

Terry Malloy disse...

Foi este PR que decidiu após Pedrogão não pressionar o governo e aguardar pela morte política daquele que não aceitava como líder da oposição.
Tem sangue nas mãos.