Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/08/2017

SERVIÇO PÚBLICO: Da próxima vez também não vai ser diferente (10)

[Uma espécie de continuação de «Too big to fail» - another financial volcanic eruption in the making (1) e (2) e de «Da próxima vez também não vai ser diferente»]


No conjunto, os países da UE28, incluindo a Noruega, atravessaram 50 crises económicas desde 1970, com o máximo a ser atingido em 2009 quando 18 países simultaneamente tiveram crises sistémicas nos mercados bancário, soberano, monetário e de capitais.

Repare-se que a criação do euro, que se esperavam criasse maior estabilidade sistémica, pelo contrário amplificou a instabilidade - ainda que em boa verdade a crise internacional de 2008 a tivesse potenciado.

Da próxima vez vai ser diferente? Depois de vários anos de alívio quantitativo, com o BCE a despejar dinheiro na Zona Euro e a reduzir as taxas a zero, exponenciando a apetência pelo risco e o investimento em projectos que serão inviáveis quando as taxas voltarem à normalidade histórica, é caso para dizer que não só não vai ser diferente como será provavelmente pior.

Sem comentários: