Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

16/08/2017

Lost in translation (296) - "Consenso nacional" é o que o Costa quiser (2)

Ainda sobre as indignações de António Costa a respeito dos aproveitamentos políticos perante tragédias desta natureza, Manuel Carvalho recorda no seu comentário de hoje no Público, com o título muito apropriado «Sua Santidade, o Governo», «que o PS da oposição (e ainda mais o fervoroso Bloco) fez sempre exactamente a mesma coisa que o PSD e o CDS fazem agora em torno dos incêndios: exploram as feridas abertas pela tragédia para desgastar quem manda. Foi precisamente o que fez o actual secretário de Estado das Florestas e então deputado do PS, Miguel Freitas, em Novembro de 2013, quando acusou Governo de Passos Coelho de se “tentar desresponsabilizar” pela falta de uma “estratégia integrada” no combate aos fogos desse Verão que provocaram a morte de nove pessoas e a maior destruição da floresta nacional desde 2005. Foi também o que fizeram o Bloco e o PCP sempre que os relatos dos incêndios subiam de tom e colocavam, como agora, o país em estado de alarme.»

Eu diria mesmo mais, como Manuel Carvalho, «era o que faltava que num país democrático que vive um dos seus momentos mais dramáticos em anos se limitasse a cantar em coro a partitura do Governo.»

Sem comentários: