Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/04/2011

TRIVIALIDADES: Nada melhor para lhes abrir a cabeça do que lhes partir uma perna

«Desde que se me partiu uma perna que passei a ver as coisas de outra maneira», disse «Manuel Rocha director do Conservatório de Coimbra, músico na Brigada Victor Jara, militante activo do PCP e candidato a deputado» [via Blasfémias].

Qual a diferença entre uma perna ser partida por ciganos e uma perna ser partida por indígenas? Depende do dono da perna. Para a esquerda relativista, será imensa. A menos que se trate da própria perna.

Sem comentários: