Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/04/2011

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Simplesmente governador. Não é ministro e muito menos anexo (2)

Secção Res ipsa loquitur

Tirei o chapéu ao governador do BdeP por, perante a ameaça de submersão da banca pelos 40 mil milhões de euros de dívida pública, ter dado corda aos sapatos e tomado uma atitude firme perante os bancos, o governo e o presidente, levando a fechar a torneira que vinha alimentando o financiamento do estado falido e empurrando a declaração de falência para a frente.

Volto a tirá-lo por ter ontem denunciado a violação reiterada das normas orçamentais e a necessidade de responsabilizar os políticos e os gestores públicos. Dir-se-à que poderia ter dito muito mais. Lá poder podia, mas quem aguentou tantos anos um ministro anexo a branquear os mais atrozes atropelos financeiros e contabilísticos, tem que celebrar como uma aragem fresca a independência de Carlos Costa.

Confirmam-se, assim, os cinco afonsos.

Sem comentários: