Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/12/2017

Dúvidas (212) - LGBTQQIAAP? FYAYWSFWU! (II)

Continuação desta dúvida.

Há algum tempo decifrei o acrónimo LGBTQQIAAP com a ajuda da BBC «We know what LGBT means but here's what LGBTQQIAAP stands for». Já sabia que L = lesbian, G = gay, B = bisexual, T = transgender e fiquei a saber que Q = queer, Q = questioning, I = intersex, A = allies, A = asexual, P = pansexual.

Esqueçam tudo o que a antiga musa canta porque o que vem a seguir é algo muito mais completo. O ano passado Steffen Königer, deputado pelo AfD ao parlamento de Brandenburgo, foi acusado de ter saudado o parlamento no início de uma intervenção com um «Meine Damen und Herren» (senhoras e senhores), sem mencionar os outros sexos, perdão géneros. Com uma ironia devastadora, na sua intervenção seguinte Königer dirigiu-se ao parlamento como se pode ver no vídeo seguinte (via Fiel Inimigo).


É lamentável que nem todas as mentes liberais se atrevam a questionar os delírios psicóticos do politicamente correcto nas suas manifestações de «gendermania» e deixem a despesa a cargo da extrema-direita.

4 comentários:

Anónimo disse...

Há tradução em português ....https://youtu.be/Al0c8HPPNOY

Anónimo disse...

Ou seja na mais nada menos que taras sexuais.

Ainda hei-de ver a esquerda a dizer que a pedofilia é um género...

(já vi, mas não em uníssono)

Anónimo disse...

Claro!
Vai-les sobrar que a pedofilia é um género de PQP, v.g., 'para quando eu puder'...

Anónimo disse...

O primeiro anónimo ofereceu um vídeo mais fácil: em português.
Esta 'cena' é daquelas que representa a excelência da política. Neste caso, a gozar.
Steffen Königer encarnou a pessoa do 'génio'.

Abraço