Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

23/12/2017

Bons exemplos (121) - A difícil convivência do humor com o dogmatismo


«Para mim, então, o politicamente correto é uma estratégia de controlo da linguagem – e, por isso, de controlo do pensamento – que não tolera a dissensão e que assenta no princípio de que certas pessoas ou grupos são demasiado frágeis para serem confrontados com determinadas palavras ou ideias. Esse princípio parece-me ser infantilizador das pessoas que se propõe proteger e, por isso, contraproducente. Eu convivo mal com a ideia de proibir discursos de que a gente não gosta.»

De uma interessante entrevista do jornal i a Ricardo Araújo Pereira, que parece estar a descobrir a difícil convivência do humor com o dogmatismo em geral e a esquerdalhada em particular.

1 comentário:

Ricardo Amaral disse...

Exacto,mas curiosamente é o outro ex-gato fedorento(Quintela que escreve no CM)que melhor entende o fenómeno(ou pelo menos não tem constragimentos ideológicos,ou outros,na exposição do dito fenómeno)do "politicamente correcto".