Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/12/2017

ACREDITE SE QUISER: Lá se vai a sopa de letras

«Foram descobertas duas variantes de genes que parecem ser mais comuns em homens homossexuais do que em homens heterossexuais, anunciou a Universidade de North Shore (Illinois, Estados Unidos) num artigo da Nature. É a primeira vez que uma equipa de cientistas anuncia ter identificado genes individuais que podem influenciar a forma como a orientação sexual se desenvolve em rapazes e homens ainda durante a gestação e ao longo da vida.» (Observador)

Lá por terem genes avariados não têm de ser exibicionistas
Se (um grande se) for assim, então a homossexualidade e all that jazz perde aquele brilho identitário do gay pride e é despromovida ao nível do síndrome de Down. Lá se vão a sopa de letras LGBTQQIAAP, a religião dos géneros, as paradas, etc. (um grande ETC.).

1 comentário:

Anónimo disse...

Ainda bem que as anomalias, anormalidades, maleitas, doenças e defeitos têm uma causa.
Antes de se saber que havia uma Trissomia 21, já toda a gente sabia que tais pessoas eram anormais.
Vai-se poupar imenso em folclore fora de prazo. Venha a ASAE!