Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/12/2017

Arranjem um lugar ao rapaz. Ele merece!

Não sou exactamente o que se possa chamar um leitor habitual da crónica no Expresso diário «Antes pelo contrário» do jornalista de causas / militante / comentador / analista Daniel Oliveira. E não sou, não porque não me esforce, mas porque, apesar do esforço, não consigo ir além do primeiro parágrafo. É tudo tão previsível.

Hoje, a propósito do escândalo Raríssimas, como ontem, anteontem ou trasantontem, a propósito de qualquer outra bosta produzida por este governo, Oliveira esmera-se no seu trabalho de bactéria diligente limpando a fossa séptica socialista, com a mesma diligência com que durante vários anos se indignou com qualquer cocozinho, neoliberal como lhe chamava.

Ó gentes do aparelho socialista, arranjem-lhe um lugar. De porta-voz, de consultor de imagem, de guru, de conselheiro, de estratego, seja lá do que for, mas arranjem-lhe. Ele merece! Ele é articulado, erudito e tem uma larga experiência de transumância (ex-comunista, ex-Plataforma de Esquerda, ex-Política XXI, ex-bloquista, ex-Livre, ex-Tempo de Avançar). Merece mais do que o palhaço Galamba que veio do circo Sócrates, como aqui lembrou o outro contribuinte.

3 comentários:

Anónimo disse...

Mais que totalmente — a 200% — de acordo. O pobre enjeitado merece.

Senão aonde ele arranjará dinheiro para comprar minoxidil (os 36 produtos que existem neste país não são comparticipados) para tratar da calvície; e uns euritos para limpar a barba (o verdadeiro progressista já não usa barba).
Já agora umas picas de Botox para limpar as rugas pensativas da fronte.
Quem pensa muito e não vê saídas, cria rugas e é careca.

Tantos conhecimentos, tanta philosophia para quê?
Pró careca...

Anónimo disse...

O homenzinho já foi a (quase) todas. Que se saiba, só não foi à do Caetano, nem à do Caldas, nem à de Massamá. Mas pressinto que muita gente o mandou para as Caldas da Raínha, para o Bordalo Pinheiro.
Isto de ser agnóstico ou ateu é um luxo caro, como todos os luxos o são.
Por que é que ninguém lhe diagnosticou uma doença rara? Além dos apoios daqueles que estão no topo dos topos das raras luminárias clínicas, também teria todos os apoios que a nacinha dá aos aldrúbias.
Na minha ignorância, creio que a doença não é rara: é somente a estupidez abundante no povoléu.

Unknown disse...

Lê-se "O Discurso para o Filho da Puta" e este gajo vem imediatamente "à ideia"...