Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/01/2017

COMO VÃO DESCALÇAR A BOTA? (6) - Apenas um chinelo de quarto, por agora

Outras botas para descalçar.

«Alguns comentadores falaram muito sobre o problema da emissão a 4,2%, mas na mesma sessão, logo a seguir, desceu para abaixo de 4% a taxa de juro. E nas sessões seguintes esteve abaixo de 4%, o que significa portanto que não consolidou a tendência que se dizia que era preocupante

Foram estas as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa, comentador residente em Belém. É claro que esta elucubração, só por si, quando comparada com a bota da geringonça que o presidente dos Afectos terá de descalçar em devido tempo, é apenas um chinelo de quarto que sacudirá do pé com a habitual ligeireza.

E por falar no desceu para abaixo do presidente dos Afectos...

Era este o sobe e desce nos 12 meses que antecederam o resgate
... recordei o sobe e desce registado neste post dos tempos de Sócrates em que o próprio, o seu adjunto Teixeira dos Santos, o séquito socialista e o coro do jornalismo de causas trombeteavam cada descida com grande júbilo.

1 comentário:

Voris disse...

Além do "desceu para abaixo", ainda temos o "na mesma sessão, logo a seguir". Como é que este coisinho foi professor universitário?

O pior, quando descalçar a bota, vai ser o cheiro a chulé...