Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/05/2013

Pro memória (115) – Mandem as contas para Paris

Mandem as contas das perdas dos swaps especulativos de taxa de juro, quase todos negociados durante os governos de José Sócrates, perdas que, mesmo depois de renegociadas, ficarão em pelo menos mil milhões. E mandem as que todas as semanas surgem dos buracos do queijo gruyère que foi a governação socialista - umas miudezas de dezenas ou centenas de milhares ou de um milhão, como é caso do contrato com a Critical Software.

Contratada em 2010 por ajuste directo para desenvolver a aplicação Citius Plus para suportar o novo Código do Processo Civil, a Critical Software não cumpriu os requisitos técnicos e funcionais definidos e o ministério da Justiça renegociou o contrato e aceitou pagar 500 mil por uma aplicação que, pelos vistos, só está instalada num pequeno número de tribunais e em breve será substituída.

Sem comentários: