Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/02/2011

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: O ministro anexo já tem substituto

Secção Res ipsa loquitur

Carlos Costa, governador do BdeP fala uma linguagem clara chamando os bois pelos nomes e mostra, por agora, não ser ministro nem anexo, ao contrário do seu antecessor Vítor Constâncio.

Ao ouvir Ricardo Salgado recomendar cautela e caldos de galinha a Carlos Costa, um observador distraído poderia concluir que, ao emigrar para Frankfurt, Vítor Constâncio teria delegado a sua pasta de ministro anexo no banqueiro do regime.

Por essas e por outras, atribuem-se 3 afonsos (ficando 2 de reserva) a Carlos Costa por fazer o seu papel. Ao excelso banqueiro oferecem-se 3 ignóbeis por pretender fazer o papel dos outros, 3 chateaubriands por não se ter dado conta disso e 5 bourbons por continuar a ser igual a si próprio, sem remissão.

Sem comentários: