Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/06/2005

TRIVIALIDADES: há sexo para além da reprodução

É preciso levantar as nossas vozes contra a repressão sexual que oprime a sociedade portuguesa.

Se fosse necessário dar exemplos da repressão, bastaria falar na TV, nos seus apenas 3 ou 4 canais eróticos, da quase ausência de programas de sexo nos canais generalistas, para além do de Herman Sic, e de alguns, infelizmente poucos, reality shows, sem esquecer claro o programa do professor Marcelo, ao qual, uma vez mais, falta o sexo ao vivo.

Se isso não fosse suficiente, poderia lembrar a quase inexistência nas bancas de jornais de revista sobre o sexo.

Se esses exemplos não chegam, acrescente-se o alarido que homofóbicos e reaças fizeram à volta dumas inocentes «linhas orientadoras da Educação Sexual em Meio Escolar».

Não admira, pois, que os nossos jovens vivam sufocados pela ignorância e esmagados pela censura moralista das mentes esclerosadas de pais e professores. Tementes de fruírem os seus corpinhos, esmagados pelo remorso duma simples pívia depois da ginástica ou dum inocente e apressado fellatio entre duas aulas.

Remorso porque, dizem-lhes, essas práticas não ajudam à reprodução. Muitos deles, aliás, nem sequer ainda sabem que há sexo para além da reprodução, como diria o doutor Sampaio (não o doutor Jorge, mas o irmão dele).

É neste contexto opressivo que as palavras corajosas da escritora Inês Pedrosa na sua «Crónica Feminina» na Única do Expresso ganham sentido:
«É importante que se ensine nas aulas de Biologia como funciona o aparelho reprodutor do homem e da mulher, explicando outra evidência científica, que é a de que o sexo e o prazer não se esgotam na reprodução

Sem comentários: