Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/06/2005

BLOGARIDADES: o doutor Freitas, cujo carácter já estava moribundo, ficou agora cortado ao meio (ACTUALIZADO)

Sem recuar mais no tempo, só este ano já perpetrei uma meia dúzia de tentativas de assassinamento de carácter do doutor Freitas do Amaral. Alguns exemplos dessas tentativas (infrutíferas por falta de objecto): aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Por muito que me custe, tenho que reconhecer que nenhuma delas foi tão bem conseguida quanto O Visconde Colado ao Meio da Joana. Só à primeira vista isso pode surpreender: quem deixa Babilónia de tanga e é mulher para estas montarias, é certamente capaz de torrar a reputação de qualquer doutor Freitas.

ADITAMENTO:

A respeito de mais esta cambalhota do doutor Freitas, vale a pena ler o que escreveu Sérgio Figueiredo no «Este ministro não é viável».

Depois não digam que o Impertinências não tinha avisado oportunamente:
«Tal como no passado traiu o doutor Soares, aliando-se com ele para chegar ao governo e dele saindo para o fazer cair, o professor Freitas irá trair no futuro o engenheiro Sócrates, mesmo que este aceite pagar o preço de o deixar preparar um futuro radioso à medida da sua vaidade. Está na sua natureza.»

Sem comentários: