Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

16/06/2005

SERVIÇO PÚBLICO: «Si vous vous mettez au prix des Portugais, on vous reprend»

Enquanto o Partido Comunista Chinês (ou seja os 3 poderes: executivo, legislativo e judicial, e ainda a nomenclatura) faz dumping social explorando o proletariado chinês que é pago à tarifa horária média de 40 cêntimos por hora para fazer T-shirts que os capitalistas portugueses deixam de fazer, reduzindo o grau de exploração do proletariado português, as sucursais francesas dos capitalistas portugueses fazem dumping social prejudicando os capitalistas franceses (e o governo francês que também é capitalista) e, dessa maneira, reduzindo o grau de exploração do proletariado francês.

Quem não percebe nada do que se está a passar são os sindicatos e a esquerda francesa que se queixam que os nossos patrícios trabalham lá «dans des conditions apparemment illégales, et bien inférieures au droit social français». (d'après Libé)

C'est la mondialisation. Hélas!

Sem comentários: