Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/02/2005

TRIVIALIDADES: O futuro dos Anacletos são os pastéis de Tentúgal

«O eleitorado do Bloco já não se resume a intelectuais, quadros superiores e jovens urbanos. Além do voto de protesto inorgânico e flutuante, o Bloco conquistou um novo tipo de eleitores. Vêm dos grupos sociais mais desesperançados: trabalhadores jovens e precários, funcionários públicos desmotivados ...» escreveu na sua coluna Choque e Pavor, no Expresso, o doutor Daniel Oliveira, o megafone evangélico dos Anacletos.

«Funcionário público desiludido é hoje capaz de produzir 100 mil pastéis (de Tentúgal) por dia», titulou aquele semanário, no Caderno de Economia, onde procurando com persistência, se podem também encontrar peças de jornalismo.


[o futuro da produção dos Anacletos]

Sem comentários: