Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/02/2005

SERVIÇO PÚBLICO: À primeira vista não se percebe, mas depois

«Os governos de Teerão e Moscovo assinaram um acordo de cooperação para construir o primeiro reactor nuclear iraniano, segundo fontes oficiais. O compromisso estipula que a Rússia facilite o combustível nuclear necessário para que Teerão possa pôr em marcha a central nuclear. O combustível que sobrar terá que ser devolvido a Moscovo.»

Não é caso para estarmos preocupados. Se fosse, as esquerdalhadas domésticas e globais estariam a preparar as suas maninfestações de protesto. Mas não haveria razão para isso. Trata-se de países amantes da paz e das liberdades, com governos sujeitos ao mais rigoroso escrutínio pelos média e por opiniões públicas muito activas. Sem esquecer que, à míngua de pitról - é só o 3º ou 4º produtor mundial - o Irão precisa imenso de centrais nucleares. E se sobrar plutónio, será devolvido.

Sem comentários: