Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/02/2005

ARTIGO DEFUNTO: Jornalismo freudiano (ACTUALIZADO)

Deitado no divã do Público, o doutor Cavaco Silva abriu aos jornalistas a sua alma e expôs-lhes os dilemas que o dilaceram. Durante a sessão, os jornalistas quiseram ouvir a opinião do reconhecido especialista em estados de alma doutor Anacleto Louçã. Não se sabe como, mas o próprio paciente aproveitou a conferência dos jornalistas com o doutor Anacleto, levantou-se do divã e foi, pé ante pé, confessar-se a uma «fonte próxima» (talvez a doutora Maria, que o acompanha sempre nas consultas).

Quando alguns pensavam que o jornalismo português não poderia descer mais baixo, eis aqui um desmentido formal, com um exemplo de mergulho em apneia nas profundezas da alma cavaquista.

08-02-2005 - 09h25 (Público Última Hora)
«O ex-primeiro-ministro Aníbal Cavaco Silva aposta numa maioria absoluta do PS nas legislativas de dia 20 e considera que esse é o melhor cenário para o lançamento da sua candidatura à Presidência da República.»

08-02-2005 - 15h13 (Público Última Hora)
«O dirigente do Bloco de Esquerda Francisco Louçã considerou as notícias sobre a preferência de Cavaco Silva por uma maioria do PS, nas próximas eleições legislativas, sinal de que "grande parte da direita quer uma maioria do PS".»

08-02-2005 - 17h01 (Público Última Hora)
«Fonte próxima do ex-primeiro-ministro Cavaco Silva, não identificada pela Lusa, desmentiu hoje que o antigo chefe de Governo tenha assumido qualquer aposta na hipótese de o PS conseguir uma maioria absoluta nas eleições legislativas de 20 de Fevereiro.»

09-02-2005 (Público)
«Aníbal Cavaco Silva vai manter silêncio até dia 20, data das eleições, mas ontem mostrou-se incomodado com a notícia do PÚBLICO que tinha por título "Cavaco aposta em maioria absoluta de Sócrates".
O ex-primeiro-ministro não gostou que fosse recordado, nesta altura, que defende que o melhor para o país são executivos de maioria absoluta e que prevê que o PS possa vir a conseguir governar nessas condições.»

[ACTUALIZAÇÃO]
09-02-2005 - 11h13 (Público Última Hora)
«O ex-primeiro-ministro Cavaco Silva reafirmou hoje que se recusa envolver "em qualquer tipo de jogadas ou manobras eleitorais ou partidárias" e negou qualquer fundamento à notícia avançada ontem pelo PÚBLICO, de que aposta numa maioria absoluta socialista.»
Sugiro ao engenheiro Belmiro, dono do jornal, que mude o título de «Público» para «Privado».

Sem comentários: