Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/02/2005

TRIVIALIDADES: O apóstolo da mentira

O doutor Anacleto Louçã deve ter alguns méritos. Se não os tivesse como poderia inspirar as melhores alcunhas do mercado político? Primeiro foi o «tele-evangelista», facturado pelo doutor Sarmento Rodrigues, que nos seus tempos de boxista o teria fulminado com um uppercut, agora infelizmente caído em desuso.

Agora foi a vez do doutor Bagão Félix ter arrincado das profundezas da sua alma indignada com a demagogia do doutor Anacleto um «apóstolo da mentira» , que lhe assenta igualmente como uma luva.

Para as criaturas mais sensíveis ficarem tranquilas quanto à justeza do cognome, recordo a cena montada pelo apóstolo na noite de 3ª Feira, durante o debate dos frouxos, a propósito do suposto privilégio de que teria beneficiado o banco Santander, e para me poupar explicações remeto para quem com mais autoridade explica tudo aqui.

Sem comentários: