Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/05/2021

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (85) - Em tempo de vírus (LXII)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

A contra-reforma socialista

A coisa já estava em marcha desde Janeiro com a apresentação pelo PS da proposta de Lei 68/XIV do regime jurídico das freguesias que permitiria criar freguesias com um mínimo de 900 eleitores e no interior (que inclui mais de 200 freguesias) com um mínimo de 300 eleitores. Para se ter uma ideia do potencial de criação de lugares para apparatchiks tenha-se em conta que das mais de 3 mil freguesias existentes cerca de três quartos têm menos de mil residentes e a média desta últimas é cerca de 445. Com a sua vocação manobrista, o Dr. Costa pretendia matar dois coelhos com uma só cajadada: colocar os boys socialistas e afagar o aparelho comunista que carecidíssimo de tenças autárquicas. No final só matou um coelho porque a proposta foi aprovada com a abstenção dos comunistas.

Ampliando a freguesia eleitoral

O ministério da Saúde vai contratar mais 2.474 funcionários. A justificação segundo o Avante da Sonae não é suprir as necessidades do SNS, é «cumprir os compromissos assumidos com o PCP, o PEV e o PAN». A multiplicação dos funcionários públicos desta vez foi alargada às Forças Armadas. que pela primeira vez em 10 anos viram os seus efectivos crescerem.

Movimento das Forças Desarmadas, em reconstrução

Não obstante o crescimento das tropas comandadas (crescimento que, segundo as leis de Murphy, deveria fazer felizes os chefes), os chefes, pelo menos os antigos, não estão felizes e a propósito da "reforma" que o ministro da Defesa pretende fazer a aprovar escreveram uma carta, cujo primeiro signatário é antigo presidente da República general Ramalho Eanes, onde se questionam sobre «qual a influência dos grupos de interesses e grupos de pressão que se movem na área das indústrias de defesa?» e insinuam que se a reforma for adoptada «as consequências serão em cada vez em maior número e mais graves». O que vos faz lembrar isto?

«Estamos preparados»

Isso garantia a ministra quando a pandemia ainda estava às portas. Os portugueses inquiridos pelo Eurofound consideraram que o SNS não estava nada preparado no Verão do ano passado e estava quase na mesma na Primavera deste ano.

Living, working and COVID-19 (ler um resumo aqui)


Para os amigos tudo…

São conhecidas as ligações históricas entre o Montepio (em rigor a associação mutualista) e o aparelho socialista. Uma vez mais, essas ligações estão a dar frutos e prepara-se uma alteração do regime jurídico das associações mutualistas para "facilitar" a adequação às novas regras as quais, se aplicadas, fariam da falência de facto da associação uma falência de direito.

O Estado sucial como máquina de extorsão

Agora é oficial. O INE confirma que a carga fiscal atingiu 34,8% do PIB o ano passado, estabelecendo um novo recorde. E o pior é que a subida da carga fiscal, segundo César das Neves, resulta do aumenta da desigualdade porque «os mais atingidos pela crise de 2020 foram os pobres, que não pagam impostos e, por isso a receita fiscal caiu menos que o PIB».

Sem a noção do absurdo ou, talvez melhor, sabendo que os sujeitos passivos são distraídos, além de passivos, o governo anuncia que os reembolsos de IRS já ultrapassaram os mil milhões de euros, confiante que os sujeitos passivos não percebem que isso se deveu a impostos antecipados pagos por excesso e, ao contrário, vêem a coisa como uma dádiva do governo, ou do PS, como um dia disse a Dr.ª Elisa.

Boa Nova

O Dr. Leão, mostrando que não é por acidente ministro das Finanças do Dr. Costa, declarou que «estamos a aproximar-nos a passos largos do fim do túnel. A recuperação está em andamento».

Choque da realidade com a Boa Nova

O Dr. Leão não disse, mas o que nos espera no fim do túnel, esgotado o chuto na veia da bazuca, é uma dívida pantagruélica e um Estado pletórico.

Há 3 anos o governo anunciou a compra de 22 comboios. Três anos depois a CP ainda nem encomendou o material. A linha do Oeste está a ser modernizada só não se sabe quando terminará a modernização que, nessa altura, já poderá ser uma antiguidade. Por agora, em 32 anos, houve um ganho de 9 minutos.

A esperança do berloquismo na TAP é uma medida do desespero do contribuinte

D. Catarina Martins, a líder berloquista, espera que na TAP mão se torrem mais de 5 mil milhões [no vosso lugar não teria a certeza se a D. Catarina tem uma ideia precisa do que sejam 5 mil milhões, que equivalem a mais de 40% de todo o IRS pago, por exemplo].
.
«Queda monumental»

No primeiro trimestre, muito por força da queda do turismo, o volume de negócios dos serviços registou uma queda de 12,7%, o Valor Acrescentado Bruto caiu para metade o ano passado e as receitas em Março deste ano tiveram uma queda homóloga superior a 70% (fonte).

Segundo uma estimativa do Expresso, o PIB de 2021 está 15 mil milhões abaixo do PIB de 2019, e, acrescento, se comparado com o PIB ao ritmo anual de crescimento de 2% a queda teria sido de 23 milhões.

«Pagar a dívida é ideia de criança»

Os sinais de que as taxas de juro poderão vir a crescer em breve estão já a reflectir-se nos yields da novas emissões de dívida: as OT a 10 anos agora colocadas tiveram um aumento de 0,237% para 0,505% em dois meses. Os amanhãs que cantariam estão a ficar mais amanhãs que irão chorar.

Sem comentários: