Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

16/04/2012

Os intelectuais, o comunismo e o Expresso

O Expresso, cada vez mais o semanário oficial do socialismo lusitano, citou no suplemento de Economia a frase seguinte que, segundo o jornalista que escreveu a peça, circularia nos meios financeiros de Hong Kong.
«Em 1949, a maioria dos intelectuais acreditava que o comunismo salvaria a China. Em 1969, os mesmos intelectuais acreditavam que a China (com a sua Revolução Cultural) salvaria o comunismo que, após Estaline e a primavera de Praga, começou a ser desacreditado como ideologia. Em 1979, Deng Xiao Ping percebeu que somente o comunismo salvaria a China. Em 2009, o mundo inteiro acredita que somente a China pode salvar o capitalismo.»
A citação foi extraída do paper «How China Got Here & Where is China Heading?» de Louis-Vincent Gave publicado pela GK Research de que Gave foi um dos fundadores. Mais significativo do que não ter identificado a fonte é o facto de o Expresso ter omitido uma frase fatal do texto original («with the horrors of Stalin revealed to the world»). Aqui vai ele.
«In 1949, most intellectuals believed that communism would save China. By 1969, and with the horrors of Stalin revealed to the world and the Prague Spring having disillusioned most right-thinking people, intellectuals argued that China (with its cultural revolution) would save communism. Following that disaster, Deng Xiaoping rose to power and, by 1979, explained that capitalism would save China. Now, thirty years later, it seems that the world's last hope is that China will save capitalism!»

Sem comentários: