Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/04/2012

BREIQUINGUE NIUZ: Portugal precisará de reestruturar a dívida, garante uma agência amiga

«Para pagar os juros, para pagar e reduzir a dívida, Portugal não pode crescer a taxas baixas, tem de crescer a taxas relativamente elevadas e, portanto, tem de procurar crescimento na ordem dos 4 a 5% para conseguir definitivamente dar a volta à situação», disse José Poças Esteves na apresentação do relatório trimestral da SaeR.

Parafraseando Alfred Kahn, assessor do presidente Carter repreendido por ter previsto em 1978 uma depressão, é como se a SaeR tivesse dito «we're in danger of having a banana soon».

A SaeR deve ser, pois, o que os detractores das agências de notação chamariam uma agência amiga. A diferença entre amigas e inimigas é que estas vão direitas ao assunto.

Sem comentários: