Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/05/2009

A via rápida de bestial para besta

O «voto de louvor e confiança» ao «bom senso e rigor» de João Rendeiro há um ano proposto por Pinto Balsemão, Saviotti e Vaz Guedes (certamente aprovado por unanimidade e aclamação) transformou-se ontem num voto de desconfiança.

Recordemos que durante 2007 já os mercados de capitais tinham iniciado uma queda consistente das alturas estratosféricas. Do final de 2007 para o voto de louvor, os índices mais importantes tinham caído acentuadamente: Euro Stoxx 50 de 4400 para 3800, o Dow Jones de 13400 para 12800, o S&P de 1500 para 1400, o Footsie de 6500 para 5500, o Nikkei de 16500 para 13000. Como seria possível o doutor Rendeiro ter uma galinha dos ovos de ouro só para eles?

O que levará gente tão experiente a enganar-se tão redondamente nos movimentos dos mercados e, sobretudo, na avaliação das pessoas? Como explicar a migração do bom senso e rigor para a falta de senso e de rigor e da confiança para a desconfiança em 12 meses a respeito de alguém que conheciam há anos?

Sem comentários: