Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/05/2009

O (IM)PERTINÊNCIAS FEITO PELOS SEUS DETRACTORES: fábula do turista e das dívidas

Chovia muito e o vilarejo estava quase abandonado. Eram tempos muito difíceis e todos tinham dívidas e viviam de empréstimos. Nesse dia chega um turista muito rico, entra no único hotel e coloca sobre o balcão uma nota de 100 euros e sobe as escadas para escolher um quarto.

O dono do hotel pega nos 100 euros e corre para pagar a sua dívida com o homem do talho.

O homem do talho pega no dinheiro e corre para pagar ao criador de gado.

O criador pega no dinheiro e corre para pagar à prostituta do vilarejo, que por conta da crise trabalhou fiado.

A prostituta corre para o hotel e paga ao dono pelo quarto que alugou para atender os seus clientes.

Nesse instante, o turista desce as escadas após examinar os quartos, pega no dinheiro de volta, diz que não gostou de nenhum dos quartos, e abandona o vilarejo.

Ninguém lucrou absolutamente nada, mas toda a aldeia vive hoje sem dívidas, optimista e acreditando num futuro melhor.

[Enviado por JARF]

Sem comentários: