Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/06/2004

DIÁRIO DE BORDO: Reaganomics. A pesada herança.

A citação que comentei aqui do A Praia, incluía a seguinte frase: «As consequências mais notórias das suas políticas são sentidas até hoje: aumento das desigualdades sociais, aumento do número de pessoas a viver em situação de pobreza, crescimento extraordinário do número de pessoas a viver na rua.»

Qual foi a pesada herança da Reaganomics?

«In 1999 a quarter of US households were poor (with less than $25,000 pa). By this standard 40 percent of Swedish households would be considered poor. Of course, some prefer to measure poverty relatively. In this context of US poor households, 45.9 percent own their own home, 72.8 percent have a car, and 77 percent have air conditioning. Their average living space is 1,200 sq ft per household. The European average including both rich and poor is 1,000 sq ft.»
[Ver aqui - via Dissecting Leftism]

Sem comentários: