Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/06/2004

DIÁRIO DE BORDO: A quadratura do rectângulo da Luz.

Antes de continuar a gastar estupidamente gasolina e a buzinar alarvemente, contribuindo para lixar a retoma, venho a casa, num pulo, escrever uma impertinência.

Também não era preciso ter tantas contemplações com aqueles grunhos, só por nos terem ajudado há 200 anos a expulsar a pior corja do mundo - a corja francesa.

Rendo-me. A defesa daquele guarda-redes piolhoso, que está a tomar o lugar do Baía, no último penalti dos grunhos e, acima de tudo, aquele penalti marcado ao grunho keeper foi um absurdo, como disse o Mourinho da exibição do Ricardo Carvalho contra o inimigo castelhano.

Que se lixe. Se não tínhamos retoma, também não é por isso que passamos a ter. Mas sempre é melhor, já que não temos, cobrarmos dos gajos que não precisam de retoma, porque estão há anos na toma.

Até amanhã. Vou gastar mais gasolina e buzina.

Sem comentários: