Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/01/2022

TRIVIALIDADES: A socorrer as vítimas de acidentes, como no resto, o Estado sucial é ineficiente (e provavelmente ineficaz)

Uma vez outra, reparo que nas notícias sobre acidentes são mencionados sempre "operacionais" e viaturas que "estiveram no local". A olho, os números de uns e outros sempre me pareceram excessivos mas, desta vez, resolvi tirar as coisas a limpo e, para os leitores do (Im)pertinências não pensaram que aqui também se pratica o palpite e se sofre da maldição da tabuada, fiz a pesquisa «feridos acidente operacionais viaturas site:pt» e encontrei na última semana os seguintes acidentes:

Nestas matérias, como em todas as outras, os apparatchiks que pululam no Estado sucial queixam-se sempre de "falta de recursos". Feitas as contas, em 13 acidentes com 37 vítimas "estiveram no local" 185 "operacionais" e 76 viaturas, a uma média de 5 "operacionais" e 2 viaturas por vítima.

3 comentários:

Vasco Silveira disse...

Caro Senhor

nesta "falta de recursos" que refere, impressiona-me sobretudo o nº de viaturas por acidente foi de cerca de 5, o que revela bem o grau de descoordenação dos meios envolvidos: quando a organização é fraca os recursos "escasseiam" sempre.

Melhores cumprimentos

Vasco Silveira

Octávio Ribeiro disse...

O boss manda os "escribas" obedecem
"Ab uno disce omnes"
catilina lusitanos XXI

Mário disse...

Já há muito tempo que critico estes excessos. Estou desconfiado que os operacionais, nestas situações, são pagos como trabalho extraordinário e com ajudas de custo.
penso eu...!