Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/01/2022

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (120) - A Passarola Afundada (XII)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

O Dr. Costa não ofende a verdade porque não se aproxima dela o suficiente para lhe causar danos

Por falta de espaço, não é costume nestas crónicas tratar das mentiras que a classe política avia a um eleitorado ignaro e distraído. Abro uma excepção e cito duas do Dr. Costa no debate com o Dr. Rio: ter baixado o peso dos impostos no PIB, afirmação que até o Avante da Sonae desmentiu, e ter nacionalizado a TAP para evitar a sua falência porque a Azul do accionista David Neeleman estava falida, o que é falso.

Take Another Plan

Nos tempos do governo do Sr. Eng. Sócrates, o amigo do Dr. Costa Dr. Lacerda Machado, na qualidade de administrador da Geocapital intermediou a compra em 2005 no Brasil da Varig Engenharia e Manutenção, hoje uma empresa participada da TAP que a Comissão Europeia obrigou a vender.

É um mono que segundo o Dr. Pedro Nuno Santos terá custado até agora quase mil milhões de euros à TAP, e que se estima irá ainda custar mais 110 milhões, milhões que o mesmo Dr. Pedro Nuno classifica de «uma brutalidade». Perguntarão, como assim? quase mil milhões em 16 anos? então o Dr. Santos não torrou na TAP mais de dois mil milhões em apenas um ano e meio e já prometeu continuar com 1.200 milhões? Pois foi, mas ele é uma pessoa modesta e prefere salientar obra dos seus antecessores.

Recorde-se que depois do dinheiro que lá enterrou, o Dr. Pedro Nuno anunciou sem se rir que no futuro a TAP deve integrar-se num grande grupo de aviação e, também sem se rir, o Dr. Costa no debate com o Dr. Rio prometeu vender 50% do capital.

Ex-ministro absolvido por ser um «cidadão médio normal»

Se a incompetência, a desfaçatez ou o ridículo fossem mortais o Dr. Azeredo Lopes teria falecido logo no dia da sua entrada como ministro da Defesa numa instalação militar, entrada que aconteceu pela primeira vez por ter sido dispensado do Serviço Militar Obrigatório (pé chato?). Como sobreviveu à comédia de Tancos, poderia ao menos ter sido condenado pelas acusações que o MP lhe fez sobre o papel que lá desempenhou. Não foi por várias razões, incluindo por ter lido mas não ter entendido um memorando e uma "fita do tempo" que o tribunal considerou ser difícil de entender para um «cidadão médio normal».

Ex-ministro reconhece que governo de Sócrates deu uma «resposta insuficiente» à crise

O ex-ministro em causa é o Dr. Teixeira dos Santos que numa entrevista à RTP3 reconheceu mais de 10 anos depois que o governo do qual foi ministro das Finanças deu uma «resposta insuficiente» à crise e agora acha «que o país ficou mais robusto após a troika».


O Dr. Leão disse um dia destes que reduzirá 13 pp dívida da pública em dois anos. A Dr.ª Cristina Casalinho não deve saber disso porque o IGCP anunciou que este ano irá emitir 17,7 mil milões e amortizar 13,4 mil milhões, ou seja, vai aumentar a dívida em 4,3 mil milhões de euros de onde o rácio para o PIB aumentará uns 2 pp. Assim, para cumprir a promessa do Dr. Leão em 2023, o rácio teria que descer num só ano 15 pp, o que nem nos sonhos húmidos do próximo ministro das Finanças acontecerá.

Agora é oficial, a nacionalização "precária" da «Empresa Financeiramente Apoiada Continuamente (pelo) Estado Central» passou a sem termo

Inviabilizada a venda ao último dos "privados" e parada a EFACEC sem matérias primas, apesar de mais 45 milhões lá soterrados, o governo deverá avançar para reestruturação, o que em socialês significa o governo vai extorquir mais umas massas aos sujeitos passivos que irá lá torrar até que um dia a EFACEC feche definitivamente as portas ou algum "privado" devidamente aconchegado com subsídios e garantias se decida a ficar com mono.

Boa Nova

À mingua de impingir a EFACEC a um "privado" depois de um ano e meio de anúncios a anunciar a venda em breve, o Dr. Siza Vieira anunciou uns «resultados impressionantes» nas exportações o que segundo ele mostraria que as empresas estão a superar dificuldades. Infelizmente o Dr. Siza voltou a exagerar um bocadinho porque, como as importações ainda tiveram uns resultados mais impressionantes, o INE concluiu avisadamente: «O défice da balança comercial de bens aumentou 1 162 milhões de euros face ao mês homólogo de 2020 (aumentou 389 milhões de euros em relação a novembro de 2019), atingindo 2 097 milhões de euros em novembro de 2021». Que é como quem diz, o problema crónico da balança comercial piorou.

Choque da realidade com a Boa Nova

Apesar da anunciada apetência da estranja pelo privilégio de ter um passaporte português - o que em socialês significa ter acesso à União Europeia pelo seu ventre mole - a coisa está a murchar


Mas é claro que nos mídia portugueses tudo depende do ponto de vista. Se o Expresso titula Vistos gold: investimento imobiliário cai 38% em três anos, o Jornal Económico dá voz à Agência Lusa - a Tass Lusitana - e titula entusiasticamente Vistos ‘gold’: Investimento captado em dezembro sobe 52% para 42,1 milhões.

First things, firts

As empresas públicas e os serviços públicos já receberam 360 milhões do PRR. Às empresas privadas chegaram até agora 100 mil euros (Expresso).

Até o vinho do Porto não escapa à trafulhice

Segundo as conclusões de um estudo da Universidade de Groningen, Países Baixos, metade das garrafas de Porto Tawny 10 e 20 anos contém vinho com menos idade. A "ASAE" dos Países Baixos já comunicou à ASAE portuguesa que evidentemente não fazia a menor ideia de que isso pudesse acontecer até porque, apesar dos seus inspectores serem treinados pelo SIS e SWAT, tem estado ocupada a fiscalizar as bolas de Berlim nas praias.

Que outra coisa seria de esperar num país cujas elites sofrem a maldição da tabuada?

Entre os cidadãos dos países da Zona Euro, os portugueses são os mais iletrados em matéria financeira.

Ainda não é o mafarrico, mas já se sente o cheiro das brasas

Com uma inflação de 1,3% em 2021, comparativamente com os 5% da Zona Euro ainda estamos nos preliminares. E com a inflação virão mais cedo ou mais tarde os aumentos das taxas de juros, cujos primeiros sinais já são visíveis, como na colocação de 3.000 milhões de OT a 20 anos a uma taxa de 1,185%.

1 comentário:

Vasco Silveira disse...

"Ex-ministro reconhece que governo de Sócrates deu uma «resposta insuficiente» à crise"

Caro Senhor
Se bem me lembro, como diria o V Nemésio, foi esse senhor que torrou mais de 5 mil milhões de Euros (Tribunal de Contas estima em 6.200 milhões de euros o custo do BPN para o Estado desde que o banco foi nacionalizado em 2008.) numa banqueta com contornos mafiosos, e onde poucos anos passados, vendida por tremoços a banqueta à "empresária" ( cai tão bem, quando o dinheiro é roubado aos miseráveis dos angolanos) I Santos, e mudado o nome para BIC, dizia pois que esse senhor veio a ser administrador.
Conflito de interesses?!!
Nunca a nossa imprensa se apercebeu deles

Cumprimentos

Vasco Silveira