Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/10/2019

Sim, vou votar inutilmente útil no Iniciativa Liberal, mas, por favor, da próxima vez façam primeiro o circuito da carne assada,...

... recebam os beijinhos húmidos das peixeiras, deixem-se abraçar por aqueles cromos com sovaco mal-cheiroso, enfim, saiam da bolha onde vivem enclausurados e conheçam a porra do país onde se candidatam para poderem explicar ao que vêm sem sound bites que só são entendidos dentro da vossa bolha de bem-pensância.

Sobretudo não usem em cada frase a palavra "liberalismo" que neste país é mais tóxica do que "comunismo". Entendam não ser por acaso que Portugal é o país da Europa mais colectivista e mais à esquerda, onde ainda existe um dinossauro chamado Partido Comunista, com um povo que valoriza pouco a liberdade e está disposto a trocá-la por um Estado Sucial que espera tire aos ricos para dar aos pobres.

Quando alguém vos confrontar com a corrupção e parasitismo que mina o «privado», como Ricardo Araújo Pereira queixando-se que o BES lhe torrou o seu fundo de pensões, não respondam com chavões e expliquem por que razão este «privado» é o privado dos empresários parasitários e de uma elite extractiva que vive pendurada e usa o Estado Sucial em seu benefício.

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito boas linhas. Sem gaguejar.

Abraço