Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/05/2018

Pro memoria (375) - A propósito das condecorações do animal feroz e de outros arguidos

A propósito desta evocação de Cavaco não ter condecorado Sócrates, lembremos alguns factos à luz da sua queda em desgraça:
Uma vez que estamos no modo evocação, evoquemos que vários presidentes condecoraram seis arguidos do Operação Marquês, a saber: Eanes (Granadeiro, Miguel Horta e Costa), Sampaio (Sócrates, Vara) , Cavaco (Bataglia, Bava). De onde podemos concluir do mérito dos condecorados, do critério e discernimento dos presidentes e do valor das condecorações.

E ainda no modo evocação, evoquemos o conde que cora ao ser condecorado do Inventário de Alexandre O'Neill no Reino da Dinamarca, que teria sido em belíssimo exemplo para, entre outros, os condecorados da Operação Marquês:

Um dente douro
a rir dos panfletos
Um marido afinal ignorante
Dois corvos mesmo muito pretos
Um polícia que diz que garante
A costureira muito desgraçada
Uma máquina infernal de fazer fumo
Um professor que não sabe quase nada
Um colossalmente bom aluno
Um revolver
já desiludido
Uma criança doida de alegria
Um imenso tempo perdido
Um adepto da simetria
Um conde que
cora ao ser condecorado
Um homem que ri de tristeza
Um amante perdido encontrado
Um gafanhoto chamado surpresa
O desertor
cantando no coreto
Um malandrão que vem pe-ante-pé
Um senhor vestidíssimo de preto
Um organista que perde a fé
Um sujeito
enganando os amorosos
Um cachimbo cantando a marselhesa
Dois detidos de fato perigosos
Um instantinho de beleza
Um octogenário
divertido
Um menino colecionando estampas
Um congressista que diz Eu não prossigo
Uma velha que morre a páginas tantas

Sem comentários: