Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/11/2017

Presunção de inocência ou presunção de culpa? (30) - O julgamento de Sócrates por uma autoridade na matéria

«Estou convencido que José Sócrates não fez 90% das coisas que dizem que ele fez. É uma convicção pessoal. Agora, há forças, interesses, áreas de poder, pessoas, grupos que estão contra ele. E, difundida esta imagem, sendo esta imagem assumida publicamente, nunca mais se consegue libertar. José Sócrates está metido numa alhada de que não se consegue livrar. E das duas uma: ou é culpado, ou não é culpado. É muito difícil sobreviver nesta situação.»

Murteira Nabo, em entrevista ao Público

Murteira Nabo é uma das figuras de cera do regime: foi vereador da CM Lisboa pelo PS, secretário de Estado de Soares, secretário-adjunto e encarregado do governo em Macau, ministro de Guterres durante uns dias, até aproveitar um deslize na sisa e pular para presidente da PT onde ficou durante 8 anos, administrador do BES, administrador Seng Heng Bank de Macau, bastonário da Ordem dos Economistas, entre outras coisas

Com a autoridade que lhe proporciona esse longo currículo e certamente depois de ter estudado minuciosamente as 4.000-páginas-4.000 do processo de José Sócrates, Murteira Nabo dá o seu veredicto que diz tanto sobre Sócrates, como sobre o próprio Nabo e o regime em que ambos prosperaram.

2 comentários:

Unknown disse...

Verdedicto de um nabo...

Anónimo disse...

Nabo, soares e afins fazem ou fizeram parte da tertúlia do primeiro-pastor.
Sabem do que falam
Dizem do que sabem
O primeiro pastor, agora arredado de levar o rebanho até ao cume da serra, é pessoa onesta e que onra os tertulianos do Largo do Rato.
Tudo gente de bem.
Bem avisado andou o primeiro líder ao fazer fundações.
Os que vieram a seguir enveredaram por outros caminhos
... problema deles...