Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/11/2017

ARTIGO DEFUNTO: Delito de opinião é escrever falsidades para justificar causas

«Puigdemont continua em Bruxelas e o que fará de seguida continua a ser uma incógnita. Espanha está com um problema terrível e uma questão começa a colocar-se. Os governantes presos são meros delinquentes, ou a sua prisão decorre de um delito de opinião? E isso é aceitável na União Europeia?» escreveu o jornalista de causas independentistas Valdemar Cruz na newsletter do semanário de reverência.

Delito de opinião? Que se saiba ninguém foi acusado por ser favorável à independência. Os membros do governo regional catalão são acusados por organizarem um referendo inconstitucional e por declarem a independência de uma região da Espanha, um Estado unitário segundo a constituição referendada por todos os espanhóis, incluindo os catalães.

Que os jornalistas tenham opiniões é inevitável e que tenham causas é perfeitamente aceitável. Que os jornalistas usem a sua profissão que lhes dá acesso à manipulação das meninges para as manipularem as meninges dos seus leitores é completamente inaceitável, sobretudo quando aviam as suas causas embrulhadas em «notícias». 

1 comentário:

Unknown disse...

Me(r)da publicidade redigida - y por encargo, como dizem além-Caia.
E uma pasmosa ignorância da História de Espanha.