Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/11/2017

DIÁRIO DE BORDO: Enough is enough!

Há quinze anos duas comediantes que formavam um duo tiveram a oportunidade de participar num festival de comédia. Depois do espectáculo os bares já estavam fechados e foram convidadas por uma celebridade do mundo da comédia para beberem um copo no seu quarto do hotel. Aceitaram. Quando chegaram ao quarto Louis C.K., um conhecido comediante americano, perguntou-lhe se podia tirar o pénis das calças. Elas, duas mulheres adultas e com experiência de vida, riram, acharam piada e ficaram. Louis C.K de seguida despiu-se a masturbou-se em frente delas.

Quinze anos depois, aproveitando o tsunami mediático do caso Weinstein, Louis C.K., que é reconhecido como um promotor da carreira de mulheres, é acusado publicamente por aquelas duas artistas e várias outras de masturbar-se na sua presença, com o seu consentimento, note-se. (fonte NYT)

Debato-me com o dilema de não saber se é mais patético o ridículo a que se expôs Louis C.K. ao ficar a sacudir o pénis à frente de duas marmanjas se a falta de decência dessas marmanjas ao viram quinze anos depois relatar o espectáculo a que consciente e voluntariamente assistiram.

Já foi atravessada a fronteira da insanidade.

Sem comentários: