Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/07/2017

TIROU-ME AS PALAVRAS DA BOCA: Os outros jogam ténis, Roger Federer respira

La souplesse elle-même
«A  diferença fundamental entre Roger Federer e os outros jogadores do planeta não é a mais evidente, ou seja, o facto de ele ganhar a maioria das vezes. Isso é um corolário, talvez uma coincidência, muitas vezes uma consequência lógica. A diferença real entre ele e outros, como todo mundo sabe, é que os outros jogam ténis, enquanto ele faz algo que tem mais a ver com a respiração, ou com o voo de aves migratórias, ou com a força renovada do vento de manhã. Algo escrito há algum tempo - inevitável -  no curso das coisas. Algo natural. Por acidente, Federer tem uma raquete na mão, mas, ao vê-lo jogar, muitas vezes esquece-se que isso é uma raquete e acaba por se acreditar que é uma espécie de pinça que os seres humanos tinham na origem, e que mais tarde nós perdemos porque é óbvio que era inadequada para a luta pela sobrevivência. Todos nós a perdemos, excepto ele, que, por razões obscuras (o carácter isolado da Suíça deve ter a ver com isso), emergiu ileso de séculos de mutação genética.»

Alessandro Baricco (de La Repubblica) em El País

Sem comentários: