Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/07/2017

Dúvidas (202) – Quem é realmente Alexis Tsipras? (3)

[Continuação de (1) e (2)]

Há dois anos perguntava-se José Manuel Fernandes a respeito das cambalhotas de Alexis Tsipras, o tribuno esquerdista do Syriza arvorado em primeiro-ministro da Grécia, «Um génio ou um desastrado? Um reformista radical ou um revolucionário dissimulado? Um estadista ou um populista?» 

Nessa altura, respondeu JMF às suas próprias interrogações: «o meu instinto inclina-se mais para que é um radical a caminho da social-democracia».

Também por essa altura, Alexis Papachelas admitia ironicamente no ekathimerini.com que Tsipras parecia um neoliberal ao justificar no parlamento a aprovação das medidas do 3.º resgate. Hugo Dixon admitia no Politico: «Alexis Tsipras is either a liar or a resident of Lalaland», Alexis Tsipras ou é um mentiroso ou um lunático e eu mantinha a questão em aberto.

O tempo parece mostrar que o instinto de JMF estava certo. Leia-se esta entrevista de Tsipras ao Guardian e registe-se a humildade, realismo e flexibilidade que um social-democrata não renegaria:

Humildade
«When I came into this office, I had no experience, or sense, of how big the day-to-day difficulties would be,”  I have made mistakes … big mistakes»

Realismo
A respeito dos planos de Varoufakis para adoptar uma moeda própria: «when we got to the point of reading what he presented as his plan B it was so vague, it wasn’t worth the trouble of even talking about. It was simply weak and ineffective.»
A respeito da saída da UE: «Leave Europe and go where … to another galaxy?” he quips. “Greece is an integral part of Europe. Without it, what would Europe look like? It would lose an important part of its history and its heritage.»
If you go out into the street and ask about this government, many might say ‘liars’, but nobody will say we are corrupt or dishonourable or have had our hand in the honey pot.»

Flexibilidade negocial
«All this time we have been in continual negotiation and continual quest for compromise between our programme and the memorandum [of bailout conditions]»

1 comentário:

Dudu disse...

Tsipras entendeu a tempo que o povo grego não queria sair do euro.
Por isso renegou o referendo e continua à espera que as coisas mudem.