Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/07/2017

Lost in translation (295) - Em Pedrógão não houve "gross breach" porque não havia "relevant duty of care"

«The Scotland Yard investigation into the Grenfell fire disaster has said there are “reasonable grounds” to suspect the council and the organisation that managed the tower block of corporate manslaughter.

The two organisations under suspicion are Royal Borough of Kensington and Chelsea and the Kensington and Chelsea Tenant Management Organisation.

The law on corporate manslaughter would require any prosecution to prove that there was a gross breach of a relevant duty of care owed to those who died.»

The Guardian

Esta é uma das diferenças entre uma democracia onde existe separação de poderes e um poder judicial independente e uma democracia onde se elege o pessoal escolhido pelos partidos e pronto. E já foi pior nos tempos do socialismo socratista que além de ter capturado o quarto poder, como nos tempos actuais do socialismo costista, também manteve o terceiro poder em cativeiro.

Sem comentários: