Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/02/2016

Lost in tranlation (264) – After all we’re all from Africa originally

«There is a core of humanity that travels right through every culture, and after all we’re all from Africa originally. Berliners, we’re all Africans really».

Merril Streep numa conferência de imprensa no Festival de Berlim respondendo com elegância e inteligência àquelas perguntas indutoras de respostas, típicas da agenda do politicamente correcto, sobre a representação de minorias no cinema.

Um dia chegará em que veremos um filme de James Bond dirigido por uma lésbica muçulmana, protagonizado por um James transexual do Soweto, um gay asiático como Bond girl e uma gueisha bissexual como Dr. No. E, para equilibrar as coisas, teremos na ópera um baixo maori a interpretar a Cio-cio-san da Madama Butterfly e um índio navajo no papel de Mr Pinkerton.

Por falar em politicamente correcto, veja os exemplos terminais da estupidez intrínseca dessa doutrina que o Insurgente publicou.

1 comentário:

Luis disse...

Brilhante! :-)