Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/02/2016

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: Não aprendem nada

Não sei se o patarata João Galamba fala em nome da geringonça ao dizer à TSF «se não houver nenhuma oferta que proteja os contribuintes, que dê viabilidade ao banco, se calhar o melhor é mesmo o banco (Novo Banco) ficar na esfera pública».

Em todo o caso é preocupante que esta gente que tomou de assalto o governo não aprenda nada, não perceba que o pior que pode acontecer aos contribuintes é o banco ficar na esfera pública e pense em repetir o caso da nacionalização do BPN mas desta vez com efeitos dezenas de vezes mais devastadores.

A respeito do BPN recorde-se que nacionalização de um pequeno banco com 2% de quota de mercado anunciada por Teixeira dos Santos, começou por «não custar nada», um algum tempo depois segundo ele mostrava «melhorias significativas» e hoje poderá custar mais do que o défice previsto para 2016 – ver a este respeito a série «a nacionalização do BPN não custou nada e o nada vai já em…».

Sem comentários: