Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/10/2009

Estado empreendedor – (12) o custo milionário do megafone RTP

Nos últimos nove anos a RTP engoliu 2,4 mil milhões de euros em taxas de contribuição audivisual, indemnizações compensatórias e aumentos de capital.

Para que serve a RTP? Para prestar o serviço público de televisão? Errado. Se a programação da RTP diferir da concorrência privada, só se for para pior. Se falamos da cóltura derramada na 2 seria melhor ir ver as audiências.

Para que serve então a RTP? Para megafone do governo em exercício. Sendo assim, se o governo fosse ao menos um gestor diligente do dinheiro extraído aos sujeitos passivos, não seria preferível por uma fracção do custo dos dois canais públicos comprar tempo de antena nos canais privados? Por exemplo, 30 minutos por dia para os discursos do querido líder; 15 minutos para anúncios de novos empreendimentos do Estado; etc.

Sem comentários: