Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/10/2009

CASE STUDY: quem é o deus ex machina da Ongoing? (3)

[Continuação de (1) e (2)]

Recordem-se as ligações da Ongoing com o BES e de ambos com a PT, o financiamento de 600 milhões do BES e do Millenium bcp à Ongoing, a compra anunciada pela PT duma participação da Media Capital (holding da TVI) que se metamorfoseou numa compra pela Ongoing.

É neste contexto que deve tentar perceber-se o racional da decisão da PT para os seus fundos de pensões (mais exactamente os fundos das pensões dos seus empregados), que se esperaria tivessem uma estratégia de investimento conservadora, investirem 75 milhões de euros em fundos geridos pela Ongoing, sabendo-se que a gestão de fundos da Ongoing ainda tem a tinta fresca e a sua expertise e experiência estão por comprovar, to say the least. (*)

No mesmo contexto se deve tentar perceber igualmente a reacção freudiana do administrador da PT que jura que «os fundos [da Ongoing] onde investimos não são parte neste processo da TVI. Não são nem vão ser».

(*) Não é extraordinário que um dos jornais que publicitou esta operação da PT foi ... A Bola? Os spin doctors da Ongoing ainda têm muito que aprender - podem aproveitar com José Eduardo Moniz, cuja foto aparece a ilustrar a notícia.

Sem comentários: