Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/10/2009

Nem todos os obamas de Obama fazem felizes os obamófilos: episódio (36) o Sócrates que há em Obama

Nem por sombras quero comparar os dois. Onde Obama tem uma carreira académica e universitária brilhante numa das melhores universidades no mundo, tem Sócrates um carreira baça e cheia de expedientes numa universidade definitivamente rasca. Onde Obama tem um currículo profissional curto mas apresentável, tem Sócrates uma sucessão de trapalhadas e coisas obscuras. Onde Obama tem uma folha (relativamente) limpa, tem Sócrates uma lista de suspeitas de trafulhices, pequenas, médias e grandes, que nos States lhe teriam acabado a carreira há mais de 10 anos.

Não obstante as diferenças, há um je ne sais quoi que partilham. E não estou a pensar no culto do big government. Refiro-me à retórica como modo de vida, ao gosto da manipulação e, é disso que agora se trata, da dificuldade em aceitar as consequências de uma imprensa livre. Sócrates conduziu, com sucesso reconheça-se, a sua guerra contra a TVI. A TVI de Obama é a Fox News a quem acusa de aviar opiniões embrulhadas em notícias (“opinion journalism masquerading as news”). Terá alguma razão, mas não é mais ou menos o que a média que lhe é favorável vem fazendo talvez com menos decoro?

E que dizer da ofensiva da Casa Branca enviando os seus assessores para convencerem as agências de notícias e os canais a não aceitarem as notícias da Fox, sob pretexto de que são o megafone do Partido Republicano ("a Republican Party mouthpiece")?

Sem comentários: