Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/01/2006

SERVIÇO PÚBLICO: como sabotar as candidaturas desalinhadas

O sistema do regime está montado para garantir o inbreeding do pessoal político. Primeiro as «juventudes» partidárias encarregam-se de seleccionar e recrutar os resíduos do mercado de trabalho. Depois, as máquinas partidárias fazem o feeding e a formatação mediocrata dos jovens políticos, entretanto precocemente envelhecidos. Continuam com a engorda do pessoal nos órgãos de soberania, nas autarquias ou em outras das múltiplas sinecuras que o estado napoleónico-estalinista proporciona.

O fecho de abóbada são os apertados filtros que a nomenklatura coloca às tentativas dos outsiders penetrarem a barbacã do regime. Exemplos? O vergonhoso processo kafkiano que o Tribunal Constitucional aplicou à candidatura de Manuela Magno.

Sem comentários: