Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/08/2012

A pergunta que se queria evitar

«"A conclusão é clara, os portugueses cumpriram e o Governo falhou, este Governo falhou em toda a linha, falhou perante a 'troika', estava obrigado a um défice de 4,5% e falhou, o Governo falhou perante os portugueses, pois exigiu enormes sacrifícios em troca de um défice de 4,5%", afirmou o secretário-nacional do PS João Ribeiro, numa declaração sem direito a perguntas na sede do PS em reacção aos dados da execução orçamental.» (Económico)

Teria o secretário-nacional do PS pretendido evitar a pergunta incómoda:
Como classificaria as falhas nos défices dos orçamentos dos governos de José Sócrates e Teixeira dos Santos, por exemplo o de 2009 que começou por ser de 2,2% e acabou em 10%?
(A este respeito, ver a nossa série de posts sobre o défice de memória)

Sem comentários: