Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/08/2005

TRIVIALIDADES: erros nossos? má fortuna?

O milionário inglês Graham Pendrill foi passar férias ao Quénia e travou conhecimento com um grupo Masai a quem deu boleia. Criou laços tão fortes com a tribo que esta o adoptou como «mais velho», depois de lhe ter dado a beber urina de boi e de o ter baptizado de Siparo («o bravo»). Por deferência, o Sr. Pendrill foi promovido directamente ao topo da hierarquia, sem passar pela circuncisão nem pelo serviço regulamentar como guerreiro Masai.

Regressado a Inglaterra, o Sr. Pendrill passou usar no dia-a-dia a sua túnica tribal. Roído de saudade projecta vender o seu T-12 e mudar-se definitivamente para o Quénia.

Uma pergunta inevitável: porquê o engenheiro Sócrates não deu boleia aos Masai?

(Crédito da estória: Times que assim quase se resgata da publicação das barbaridades do jumento empertigado)

Sem comentários: