Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/04/2018

CASE STUDY: A doutrina Somoza como modo de vida (3)

«Lula da Silva faz um discurso interminável em cima do telhado de um sindicato, insultando a comunicação social, enlameando a justiça, afirmando que a sua prisão irá provocar “orgasmos múltiplos” aos seus detractores, e chegando ao ponto de garantir que foram os tribunais brasileiros a apressar a morte da sua mulher. Em qualquer lugar do mundo, este seria o discurso de um demagogo e de um populista. Se acaso Donald Trump fosse preso, diria mais ou menos aquilo, só que de fato e gravata, em inglês e na Trump Tower. A demagogia, a manipulação, o ressentimento e o recurso às teorias da conspiração seriam iguaizinhas. E, no entanto, para a esquerda portuguesa, Lula da Silva, o homem do Mensalão, é um preso político e a pobre vítima – palavras de Catarina Martins, grande pilar do governo da República Portuguesa – de “um golpe da direita reaccionária, racista e fascista”»

«De Lula a Bruno de Carvalho: olhar e não querer ver», João Miguel Tavares no Público

A Justiça brasileiro já julgou e condenou quase duas centenas de arguidos no caso Lava Jato - ver uma lista desactualizada aqui. Entre eles encontramos gente de vários partidos e de várias profissões.(*) Excepto no caso de José Dirceu, guerrilheiro, second-in-command no primeiro governo de Lula e organizador do «Mensalão» (o esquema de compra de votos dos deputados federais de outros partidos para votarem as propostas do governo Lula), as condenações e prisões não geraram protestos, algumas até suscitaram satisfação - as de empresários e de gente de direita.

Agora com Lula condenado com base em provas irrefutáveis está a ser o que se vê, não há esquerdalho lusitano que não saia em sua defesa. Deviam dizer como Franklin D. Roosevelt em 1939 a propósito do apoio ao ditador Somoza: «he may be a son of a bitch, but he's our son of a bitch».

(*) Aditamento: leiam-se aqui múltiplos exemplos de gente de direita e empresários que foram condenados e presos pela justiça brasileira.

Sem comentários: